terça-feira, 11 de setembro de 2012

Balance no Parque Natural do Tejo Internacional

Acabo de chegar de três dias fantásticos a descer o rio Tejo.
Entre Alcántara na Extremadura Espanhola, e Herrera de Alcántara, uma aldeola de duzentos habitantes perdida nas serras.
Um percurso de cerca de 50 km em três dias de canoa e kayak. Paisagem soberba e vida animal como julgava não haver por cá! Não vimos ninguém durante os três dias, excepto nós mesmos, e nada de carros, aldeias, casas... três dias de incontáveis serranias, veados, javalis, raposas, lontras, abutres, grifos, guarda rios, patos, cegonhas, garças reais, bufos, corujas, águias, falcões, perdizes... mas principalmente com amigos 5 estrelas. Espectáculo!!!



A caminho do Tejo, este é um afluente.


Extremadura.


A maior ponte do império Romano, em Alcántara, vale a pena visita tem muitos locais de interesse para conhecer.

A colossal barragem que segura as águas a montante, também em Alcántara.

TIR. Aguenta Peugeot para não andares a rir da Berlingo!

Vizinha na contemplação!


Entramos no rio com a noite a cair... remamos uma hora na completa escuridão e como não encontramos sitio para acampar voltamos tudo para trás e acampamos no sitio de partida... faz parte! 







Estamos a rir do José Cid, lá de trás...

Este.






A minha Pocahontas.


Balance.

The whole team. Da esquerda para a direita, Sandra, Victor, eu, Rui, Cândido, Miguel, Rita e na fila de baixo a Isabel com orelhas de rato Mickey.



À espera de um magnifico almoço em Herrera. A discursar o Ernesto, o simpático taxista local que nunca se cala e que nos levou de volta para Alcántara para ir buscar os nossos carros. São 50 km por rio e 80 km por estrada.


O amigo Victor como os seus saudáveis 70 anos e uma forma física igual à t-shirt, invejável!
Não há muito tempo fez os caminhos de Santiago do lado Francês em bicicleta. 1000km em 10 dias!! 




Já estamos a combinar a próxima!

Rio Sado ☺

estoupraver...