sábado, 3 de março de 2012

Bamako

A Mauritania e o deserto ja ficaram para tras, ja transitamos entre a Africa dos Mouros do Magreb estamos na Africa negra. A viagem tem corrido sem incidentes.
Uma das noites a caminho de Kiffa fomos barrados num control militar, a partir das 18h nao deixam estranjeiros andar na estrada, estava mos numa zona quente, a uns anos uma seccao da Al-Queda assinou um grupo de franceses por estas bandas.
Monta mos a nossa maravilhosa mesa desdobravel ao lado da casa dos militares. Ali janta mos e dormimos ao relento, estava calor. Apareceram ainda 2 camionistas Fraceses com camioes enormes, vinham do burkina Faso em missao humanitaria, ja levavam dois meses de viagem. Partilharam conosco informacao perciosa sobre o Mali. A meio da noite levantou-se uma enorme tempestade de areia. O dia seguinte ficou com pouca visibilidade. Foi tambem a jornada mais dura da viagem, um troco de estrada em pessimo estado, alternado entre um alcatrao esventrado e picadas empoeiradas, quatro horas para fazer 100km.
Entra mos no Mali ja ao fim da tarde, vistos e taxas carissimas que quase nos levaram a falencia, tivemos de ir a monte de sitios diferentes carimbar papeis.
Na primeira terra do Mali, Nioro, ja noite escura encontra mos um quarto, demasiado caro! Negocia mos o preco de um duche e acampamos no quintal do albergue, exaustos!
No dia seguinte repusemos as nossas financas, um guarda de alfandega apaixonou se pelo relogio do Rui "cobien por set montre?", olha mos um para o outro e ja esta! - "100euros mesiu, por vou 80euros; ocasion", puxou do bolso de um maco de notas e pagou nos 70euros na moeda local e recuperamos o dinheiro do dia anterior. O relogio tinha custado 5euros ao cigano em Setubal.
A paisagem vai mudando a medida que descemos, as arvores ficam maiores e aparacem os primeiros Baobas, umas arvores incriveis, impossivel nao reparar nelas!
Passa mos muitas aldeias em terracota, gado e frutas a venda.
Bamako e o caos esperado das cidades Africanas, quase dois milhoes vivem aqui, calor, lixo, fumo dos carros, barulho e o Niger; um dos maiores rios de Africa. Aqui tem perto de 1km de largura.
Vamos descancar e pensar nos proximos dias, Djene e o Pais Dogon. Mao de Fatima esta fora de questao, o norte do Pais esta vedado ao turismo devido a rebeliao Tuareg.
Estou pra ver..